Do espeto para o varal

A arte do assado vem ganhando novos coadjuvantes. Alinhados ao movimento que transformou o churrasco em um espetáculo, chefs cheios de estilo abusam da criatividade na hora do preparo. Lugar de carne premium agora é na grelha, mas também no gancho, no chão e até no varal ao lado de legumes e molhos condimentados no modelo Slow Cooking (preparação lenta). Um movimento que vem angariando seguidores por todo o Brasil e já entrou para ficar na agenda de promoção do Programa Carne Angus Certificada. “Entendemos que esses novos preparos abrem o leque de opções para os consumidores, que têm condições de realizar diferentes experiências com os tradicionais cortes, ou inovar na escolha da carne do dia a dia”, pontua a gerente do Programa Carne Angus, Ana Doralina Menezes.

Uma prova da expansão das iniciativas desse nicho foi apresentada na Expointer deste ano, evento carregado de tradição e história para os gaúchos. Durante todo o dia de domingo, 25 de agosto, quem passou pela Pista do Gado Leiteiro pode conferir as preparações para o 1º Ô Churras Angus, que reuniu 250 pessoas em uma noite de carne de alta qualidade e muita confraternização. Iniciando o preparo da Costela em Fogo de Chão logo pela manhã, o Frigorífico Zimmer chamou a atenção com seu varal de legumes preparados lentamente na brasa. Ao lado, também participaram o Frigorífico Silva e o Marfrig, com vazio defumado e bife ancho, respectivamente, além de acompanhamentos variados. A quarta estação foi destinada à sobremesa, onde a estrela foi a banana caramelizada com doce de leite.

Um fator determinante para esse movimento de “abrir os horizontes” do churrasco é a evolução do rebanho brasileiro, com produção de animais diferenciados que viabilizaram sepultar a antiga segregação entre cortes de primeira e de segunda. “O início desse cenário começou no campo, com a produção de animais capazes de originar uma carne superior. E hoje, passados mais de 16 anos de Programa Carne Angus, temos disponível ao consumidor cortes de todas as regiões da carcaça certificados, padronizados de Sul a Norte do Brasil”, argumentou Ana Doralina. Compartilhando a mesma opinião, o sócio da Matilha Entretenimento Criativo, agência que produz o Ô Churras, Enzo Arns, credita a evolução do movimento churrasqueiro às melhorias no manejo e seleção do gado, com redução do tempo de pasto dos animais, por exemplo. A adoração pelo assado e pela carne Premium é tanta que o que se vê no mercado é o estímulo até de novos nichos de negócio. “As pessoas passaram a investir em cursos, literatura, acessórios próprios para o churrasco”, completa Arns.

Quando o Ô Churras foi proposto pela primeira vez, lembra ele, havia muitas dúvidas sobre a aceitação do projeto no Rio Grande do Sul, terra aclamada pela tradição do churrasco. Porém, segundo Arns, o público tem se permitido ousar e gostado do que tem visto. “Ir para a Expointer com a Angus, que é a grande grife de carne do país, foi uma tremenda realização”, diz.

Entre os eventos de churrasco que marcaram a agenda da Angus em 2019, também merece destaque o Festival Angus Malbec, que ocorreu na cidade de Gramado entre junho e agosto. O objetivo, explica o proprietário do Malbec, Josiano Schmitt, foi reunir carne de qualidade e ambiente requintado em uma opção diferenciada no inverno da serra Gaúcha. “Proporcionamos para o consumidor muito mais do que o consumo de carne Angus. Temos todo o histórico desses cortes, desde o  que acontece no manejo e abate do animal até o porcionamento. E assumimos o compromisso de preparar muito bem aquilo que já é muito bom”, frisou o empresário.

Com mais opções sob a bancada, é mais fácil criar. “O dianteiro, que antes era discriminado, hoje é a estrela”, destaca a chef assadora Clarice Chwartzmann, que participou da primeira edição da Churrascada no Rio Grande do Sul, evento realizado em Porto Alegre no mês de abril e que contou com 3 estações da Angus. Para ela, o mercado inteiro vem se adaptando às novas possibilidades do churrasco. “Tornou-se uma arte. Temos mais qualidade de carne, evolução genética e maior acesso aos insumos”, afirma, destacando que, de região para região, a cultura do assado é diferente e, por isso, cheia de influências. A Angus também marcou presença na Churrascada de São Paulo, em agosto, quando realizou uma pesquisa com objetivo de caracterizar o perfil desse novo consumidor de carne premium. Com sete bancadas, maior participação da Angus em todas as edições da Churrascada, comercializou, em apenas dois dias, 2 toneladas de carne Angus certificada, atendendo 6,5 mil pessoas de diversos países.

Você encontra esse e mais conteúdos do Anuário Angus 2019 aqui.

Crédito: Gabriel Olivera

 

Compartilhar
0 comentários on Do espeto para o varal